Sem horas e sem dores,

sejam bem vindos.

Restos (Soneto)

Há uns 6 anos atrás, quando eu tinha 14 anos e estava no 1º ano do colegial, eu escrevi alguns sonetos em um caderno que tinha comprado apenas para poesias, mas esse caderno só acolheu uns 10 sonetos ou menos...
Na época eu só queria escrever sonetos. No começo eu escrevia no estilo arcadista, com versos decassílabos e rimas na regra; depois de um tempo, passei a escrever alguns sonetos mais contemporâneos, com mais abertura de expressão.
Encontrei este caderno alguns dias atrás e o reli. Escolhi então um de meus antigos poemas para postar, espero que gostem.


RESTOS

Quando tudo acabou e foste embora,
em mim ficou somente abismo e solidão...
Minh'alma em pedaços soltos pelo chão
sofreu cada minuto, cada dia e hora.

Meu peito, de saudade, até hoje chora!...
e ainda se deixa levar pela emoção;
parece uma criança a sonhar em vão
com coisas que não valem nada mais agora.

Tudo o que pensei pra nós está perdido;
os planos, emoções, ficaram sem sentido,
arrastados pelo turbilhão de desenganos...

Contudo uma chama permanece acesa,
e vão continuar brilhando, com certeza:
São os versos que fiz ao longo destes anos!

1 Comentários:

camilaferrer disse...

É de poucas pessoas esse dom, é de escasso reconhecimento, mas de um talento imenso, que até quem nunca leu o seu tipo de "demostrar sentimento", se deleita com tuas poesias.

Parabéns pelo Texto.




TE AMO

Postar um comentário

........................................: OnDe mE aChA! :........................................

TWITTER: http://twitter.com/Sir_Otavio
ORKUT: http://www.orkut.com.br/Main#Profile?uid=13746541447095137404
______________________________________________________________________________