Sem horas e sem dores,

sejam bem vindos.

Alecrim particular












"Alecrim, alecrim dourado que nasceu no campo sem ser semeado..."


- Não se pode combater a lágrima.
Deixo então jogados pela cama meus acertos e meus relógios,
e corro pros braços de quem sempre me quis bem.

- Posso vencer o dia, ao menos?
Enquanto colho aquelas rosas, jogo levemente a areia para o lado,
cato as pedras, deixo limpo... amanhã floresce mais.

- Tiro da vida o ar.

Permita-me cantar enquanto eu amo, pois nada é mais.
Quero esperar da vida apenas o canto, a rosa e a tinta,
Pois eu me escrevo e escrevo, rapaz.

E respiro.
Amo.
Respiro.
Amo.
Respiro.
Amo.
Intercaladando-me em ápices de batimentos que meu coração aguentar,
enquanto meu combate com a lágrima não cessar.


"Foi meu amor que me disse assim, que a flor do campo era um alecrim..."

3 Comentários:

Rayana Moura disse...

Esse foi um dos melhores poemas que já li! =O
Parabéns, meu querido!
Perdoe-me a distância...

Saudaaades...

Luiz Veloso disse...

Viver e não amar é tão sem sentido quando viver e não respirar.

Texto lindo

camilaferrer disse...

"(...)E respiro.
Amo.
Respiro.
Amo.
Respiro.
Amo." Esse texto é de uma leveza... :)
Amei o começo com "Alecrim" ficou perfeito, e o término com o resto da música, simplesmente Bem Colocado e pensado.

Texto lindo amor, Parabéns... :D

Postar um comentário

........................................: OnDe mE aChA! :........................................

TWITTER: http://twitter.com/Sir_Otavio
ORKUT: http://www.orkut.com.br/Main#Profile?uid=13746541447095137404
______________________________________________________________________________